Machu Picchu, um sonho realizado!

[PT] Machu Picchu para nós era um destino especial e esperado!

No dia anterior à nossa visita, saímos de Cusco bem cedo e pegamos uma van para Ollaytaytambo, de onde sairia nosso trem para Águas Calientes, cidade base para visitar Machu Picchu. Apenas se pode chegar em Águas Calientes de trem.

Muito embora uma ida de Cusco a Machu Picchu possa ter muitas etapas no que se refere a paradas e transportes, fizemos tudo de forma tranquila e espaçada, para que ficasse confortável para as crianças.

O bilhete para o trem que sai de Ollantaytambo para Águas Calientes é caríssimo (é muito mais caro que qualquer outro custo desse passeio). Mas como nosso pequeno é amante dos trens, ele ficou bem feliz com essa parte do trajeto.

Há outras opções de trem para Águas Calientes, entretanto esses outros trens partem de outras localidades e para se chegar nesses locais seriam necessárias muitas horas viajando de carro pelas difíceis estradas do Peru. Por conta dos pequenos, descartamos a possibilidade.

Trem

O trem é super confortável e alguns deles têm opção de almoçar durante o percurso, que dura aproximadamente 2 hs.

Nossa visita a Machu Picchu foi uma mistura de sensações que deixou um gostinho de quero mais.

Já em Águas Calientes, cidade base para a visita às mais conhecidas ruínas do mundo Inca, acordamos em muito cedo, pois havíamos marcado o horário da visita para às 7hs. Na noite anterior havia chovido torrencialmente durante muito tempo, e estávamos apreensivos quanto ao clima no dia da visita. Tomamos café antes das 6hs e seguimos para pegar o ônibus que nos deixaria na entrada do parque.

Estava um clima super instável e ainda no ônibus a chuva voltou. Entramos no sítio e havia uma neblina imensa, que tudo cobria. Nossa visibilidade era de menos de 10 metros. Nós tínhamos capa de chuva e começamos a planejar em como fazer o melhor trajeto. Isso porque havíamos comprado não somente o direito a ver a cidadela, mas também a subir na Montanha Machu Picchu, que teria uma bela vista para o vale e para a própria cidade Inca. Como era muito cedo, decidimos fazer primeiro a trilha da montanha, na esperança que o tempo abrisse quando chegássemos lá em cima. Que nada, a chuva piorou.

Essa trilha da Montanha especificamente é super difícil, e a chuva piora bem o caminho. Fomos com as crianças, pois havíamos lido que crianças poderiam ir nesta trilha, entretanto não recomendamos. Mateus, no auge da forma física com seus 5 anos, foi muito bem e estava tão animado que nem ligou para a chuva, mas eu como mãe me desgastei, e fiquei muito preocupada em escorregarmos.

Após uma hora e meia de pura subida, ficamos preocupados em continuar. Havia lugares muito estreitos, degraus íngremes e subidas ao lado de precipícios. Assim, decidimos dividir para conquistar. Fiquei com a Sofia no caminho esperando, enquanto Mateus e Tiago seguiram em frente para completar a trilha da Montanha. Nossa esperança não se realizou, e a névoa continuou forte durante toda a subida dos meninos. Eles chegaram ao topo da montanha, mas não puderam ver absolutamente nada pois o tempo não abriu. Voltamos, e durante a volta a chuva apertou de novo.

Chegamos para percorrer o sitio arqueológico debaixo de chuva e neblina, e depois de uma trilha de 3 horas na qual não conseguimos ver nada. Estávamos cansados, frustrados e mal humorados. E preocupados com as crianças, pois a capa de chuva não estava segurando toda a água, e temíamos que eles pudessem ficar resfriados. E nada da neblina passar.

IMG_5207

Estávamos tristes e já nos preparando para ir embora, sem ver praticamente nada do sítio, quando nesse momento aconteceu nosso pequeno milagre do dia.

Por algo como entre 15 a 20 segundos, a neblina se dissipou e nesse exato momento pudemos ver toda a cidade! Soltamos juntos um “Uau!” perfeitamente sincronizados. Sinceramente nesse momento meu pensamento foi: na vida precisamos apenas de 1 segundo para termos lindas lembranças para sempre em nossa memória.

PSX_20180313_210639.jpg

Nosso humor mudou, e a partir daí saímos para terminar de percorrer algumas partes do sítio, e muito felizes e gratos com a oportunidade que tivemos de poder vislumbrar algo tão belo e mágico, e principalmente de poder fazê-lo ao lado das pessoas que mais amamos.

 

[EN] We were eager to visit Machu Picchu!
We left Cusco very early on the day before our visit, and took a van to Ollaytaytambo, from where our train would leave to Aguas Calientes, base city to visit Machu Picchu. You can only get to Aguas Calientes by train.
Although a trip from Cusco to Machu Picchu can take many stages in terms of stops and transportation, we did everything smooth and spaced, so that it would be comfortable for the children.
The ticket for the train that leaves from Ollantaytambo to Aguas Calientes is extremely expensive (it is much more expensive than any other cost of this tour). But as Mateus loves trains so much, he was very happy with that part of the trip.
There are other train options to get to Aguas Calientes, however, these other trains depart from other locations and to reach these places would take many hours traveling by car along the difficult roads of Peru.

Our visit to Machu Picchu was a mixture of sensations and we felt that the visit was to short.

Already in Aguas Calientes, city base for the visit to the best known ruins of the Inca world, we woke up very early because we had marked the time of the visit for 7am. There was a heavy raining during the previous night and we were apprehensive about the weather on the day of the visit. We had coffee before 6 a.m. and we went to catch the bus that would leave us at the entrance of the park.

The weather was unstable and when we were still on the bus the rain came back. We entered the place and there was an immense fog, which covered everything. Our visibility was less than 10 meters. We had raincoats and started planning on how to make the best route throughout the site. This was because our ticket allowed us to visit both the citadel and to climb Machu Picchu Mountain, which would have a beautiful view of the valley and the Inca city itself. As it was very early, we decided to go for the mountain trail first, hoping that the sun would appear by the time we reached the summit. Instead, the rain got stronger.

This mountain trail is very difficult, and the rain makes the way very worse. We went with the children because we had read that children could go on this trail, though we do not recommend it. Mateus, at age 5, did very well and was so excited that he did not even bother with the rain, but as a mother I got worn out, and I was very worried about slipping.

After an hour and a half of pure climb, we were worried to continue. There were very narrow places, steep steps and steep cliffs. So we decided to divide to conquer. I stayed with Sofia on the steps waiting, while Mateus and Tiago moved on to complete the Mountain trail. Our hope did not come true, and the fog continued strong throughout the boys’ climb. They reached the top of the mountain, but could see nothing at all because the fog persisted. We came back, and during the return the rain fell strong again.

We arrived at the citadel to visit archaeological site under rain and fog, and after a 3 hour trail in which we could not see anything. We were tired, frustrated and grumpy. And worried about the children, because the raincoat was not holding all the water, and we feared they could get a cold. And fog stills on.

We were sad and already preparing to leave, seeing virtually nothing of the place, when at that moment our little miracle of the day happened.

Between a timeframe of 15 to 20 seconds, the fog dissipated and at that very moment we could see the whole city! We released a perfectly timed “Wow!” Honestly at that moment my thinking was: in life we ​​need only 1 second to have beautiful memories forever in our memory.

Our mood changed, and from there we left to finish visiting some parts of the site, and we were very happy and grateful for the opportunity we had to be able to glimpse something so beautiful and magical, and especially to be able to do it alongside the people that we love most.

Anúncios

Um comentário sobre “Machu Picchu, um sonho realizado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s